Cafeicultor de Juruaia está entre os melhores do 29º prêmio Ernesto Illy

Adenísio e Sirlei Araújo falaram ao Projeto Juruaia 360 sobre a qualidade do café que produzem, os cuidados necessários para um produto especial e a premiação conquistada

Juruaia foi surpreendida no último dia 8 de outubro de 2020 com a divulgação do resultado da 29ª edição do prêmio Ernesto Illy de Qualidade Sustentável do Café para Espresso. Entre os seis melhores do país e o melhor do Sul de Minas Gerais está Adenísio de Araújo, de Juruaia, produtor do bairro Mata do Sino.

Adenísio e sua esposa Sirlei Araújo contaram aos membros do projeto Juruaia 360 os cuidados necessários para se produzir cafés especiais, também conhecidos como cafés finos ou gourmets. Desde o preparo da terra, o cultivo da lavoura, a utilização de adubos e foliares, mão de obra aplicada até os cuidados com o grão no terreiro de secagem.

O casal contou que comercializaram um lote de cafés para a Illy, uma empresa italiana especializada em café espresso e, automaticamente, passaram a concorrer a premiação. Inicialmente, ficaram entre os 40 melhores, concorrendo com mais de 970 produtores brasileiros. Adenísio mencionou que mais produtores de Juruaia também ficaram entre os 40 primeiros. Eles descobriram que haviam ficado em 4º lugar por meio de uma ligação para uma entrevista solicitada pela Illy. Agora, aguardam novas informações a respeito dos próximos passos.

O café vendido para a Illy tem certificado de qualidade e passa por um processo rigoroso de beneficiamento, atendendo as exigências do mercado externo. Todo o processo é rastreado e monitorado em tempo real para que a qualidade seja atestada e o produto possa ser exportado dentro das condições exigidas.

Eles destacaram que frequentemente recebem visitas de empresários do exterior em suas propriedades, vindos da Alemanha e dos Estados Unidos, por exemplo, interessados em conhecer as lavouras, a estrutura, tirar fotos, fazer perguntas e levantar informações sobre o produto.

Uma das lavouras de Adenísio produziu 144 sacas por hectare em 2020, sendo a média nacional, 25 sacas. O método utilizado para se alcançar tamanha produtividade exige bastante da planta, que tende a produzir menos grãos no ano seguinte. Para que se tenha um número mais assertivo quanto a produtividade do hectare monitorado é feita uma média a cada quatro anos.

Durante o bate-papo também conversaram sobre a criação de marcas de café próprias para fins de comercialização em cafeterias na cidade e também sobre a implantação de rotas turísticas em meio às lavouras e estruturas de beneficiamento, o que pode se tornar um atrativo a mais em Juruaia. A florada e a colheita do café são os momentos que mais agradam os visitantes e impressionam quem não conhece as plantações.

Um fato que impressionou a todos durante o bate-papo foi a revelação de que, em meio as plantações de café de Adenísio e Sirlei, existe uma capelinha que contem a imagem de Nossa Senhora do Café.

O casal concluiu a conversa com os membros do Projeto Juruaia 360, ressaltando a necessidade da união dos produtores de café de Juruaia em prol do crescimento coletivo. Este inclusive é o objetivo maior do projeto Juruaia 360 e está estampado na marca-mãe de Juruaia.

“Nunca ache que seu café não é especial, porque para ele ser especial basta você acreditar!”, destacou Sirlei Araújo.

Juruaia
Author: Juruaia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *